CUIDE-SE
SAÚDE

30/01/2018 10h23

Reforma trabalhista na saúde

Sindicato dos Hospitais negocia com 50 sindicatos de trabalhadores do setor privado de saúde


Médico Yussif Ali Mere Jr

Um dos mais antigos sindicatos patronais do país, o SINDHOSP- Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo está preparado para adaptar-se às mudanças previstas na Reforma Trabalhista, que oferece um novo papel, de maior importância aos sindicatos.

As negociações coletivas podem, com a nova Lei, se sobrepor ao legislado. O SINDHOSP deve negociar este ano com 50 sindicatos de trabalhadores do setor saúde, que somam 600 mil empregados.

Segundo o presidente do SINDHOSP e da FEHOESP- Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo, o médico Yussif Ali Mere Jr, a nova legislação trabalhista propicia sindicatos fortes com grande poder de negociação. E, ao abolir a contribuição sindical obrigatória, beneficiou as representações de classe que mais serviços e benefícios oferecem à sua categoria.

 “ Os nossos serviços de saúde certamente estão conscientes da importância da manutenção voluntária dessa contribuição para o SINDHOSP. Somente com recursos, poderemos continuar trabalhando pela melhoria da saúde da população, negociando com os trabalhadores, governos e planos de saúde”, destaca.

Levantamento do departamento jurídico do SINDHOSP, contabilizou no ano passado 11 dissídios coletivos, 102 convenções coletivas de trabalho e negociações com 50 sindicatos de trabalhadores. Os 6 sindicatos de hospitais filiados à FEHOESP, somam 55.463 estabelecimentos no estado de São Paulo.

Para 2018, as previsões indicam o aumento do número de negociações, que incluem as categorias de médicos, psicólogos, farmacêuticos, fisioterapeutas, técnicos de segurança, odontologista, nutricionista, técnico em radiologia, biomédico, enfermeiro, auxiliares de enfermagem, técnico de enfermagem e demais trabalhadores do setor de saúde.

 

SINDHOSP completa 80 anos

O Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo completa 80 anos este ano. Criado em 1938, existe antes mesmo da própria CLT.

O presidente do SINDHOSP, Yussif Ali Mere Jr, destaca a importante mudança no conceito de hospital nesses últimos 80 anos. Criados como casas de saúde onde doentes terminais esperavam para morrer, hoje os hospitais tornaram-se importantes centros de pesquisa e desenvolvimento tecnológico e tornaram-se instituições com alta resolutividade.

“E foi em grande parte, recursos da iniciativa privada, muitos provenientes das colônias de imigrantes em São Paulo, que propiciaram grande avanço tecnológico e o desenvolvimento de hospitais de ponta, que se equiparam e até superam hospitais de outros países”, observa o médico.

Dos 6.787 hospitais existentes no país, 70% são privados, filantrópicos ou lucrativos. Dois terços dos leitos hospitalares estão na iniciativa privada. E do total, 504 hospitais particulares ficam no estado de São Paulo.

 

Informações:

Matsuda Press Agência de Comunicação
Eloisa Matsuda MTB 12.483
imprensa@matsudapressbrasil.com